Deslocamentos

antiboiHá uma inquietação que eletrifica a forma e o conteúdo de Antiboi, antologia poética de Ricardo Aleixo.

Trabalhando com versos livres, marcados pelo experimentalismo, o escritor mineiro coloca em cena questões existenciais, sociais e políticas através de uma estética de deslocamentos.

Os poemas, escritos entre 2013 e 2017, variam do apuro minimalista ao esgarçamento do léxico, conduzidos pela força de uma oralidade que se empenha em fazer da poética um conduto para a performance.

O poeta é um cidadão que se constrói de significações e de experiências, e torna a sociedade sua memória, seu alvo.

Sendo assim, Aleixo transporta reflexões sobre racismo, injustiça social e violência para seus versos, ao mesmo tempo que neles catalisa sua própria noção de mundo.

Tal escrita amalgamada, subversiva, define um autor de voz única, que milita por uma arte que contenha, em sua prática transmissível, o signo da resistência.

Como bem diz, no poema-título, na vida nada é caprichoso/nada é garantido.

***

Livro: Antiboi

Editora: Crisálida

Avaliação: Bom

 

*Texto publicado originalmente na revista Palavra.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s